terça-feira, outubro 12, 2010

À RÉDEA SOLTA


Nunca mais a busca angustiada de palavras
que dancem com a rima
num ritmo alucinado.

Seu mundo é à rédea solta
sem métrica nem significado.
Respirando poesia
e voando sem escolta,
são presa fácil do louco
que as arruma,
pouco a pouco
ao sabor do seu sentir.

O que sabem as pessoas
dos versos que os loucos fazem?
são uma mistura tamanha
de alegrias e ais sentidos
de momentos de ilusão
e amores incompreendidos
de beijos leves e doces
e guerras sem fim à vista.

De horas de desalento
e palavras de paixão
de uma doçura envolvente
mas que matam sem ter dó,
outros loucos que à partida,
esquecem completamente
que as palavras dum poema
são uma verdade fingida

Foto da Web

28 comentários:

piedadevieira disse...

Sem rédeas, sem prisões são seus versos. São loucos, fingidos, sem medidas,alucinados...mas sentidos.
As palavras dançam nessa poesia livres, leves e soltas.
Beijos

ErikaH Azzevedo disse...

Já dizia o Pessoa,o poeta é um fingidor,e muito eu concordo com ele, pq nem sempre escrevo o que sinto mas tb sou de escrever o queo outro sente....e desse jeito assim louco, sem metrica, sem regrae sem rima...palavras que já nasceram livres...

E se é loucura ser poeta, louca prefiro ser...hehehe

Bjo meu a ti Graça.

Erikah

Nilson Barcelli disse...

A verdade fingida não é fácil...
E talvez que todos os poetas sejam loucos...
Excelente poema, querida louca, digo, querida amiga... gostei.
Beijos.

José disse...

Olá Baby!
Eu nunca me esquece dos amigos, e dos vizinhos ainda muito menos, posso demorar algum tempo para vir falar com eles, mas falo sempre,é melhor falar com os amigos, do que falar sozinho, se começo a falar sozinho chamam-me maluco.
Gostei muito muito deste poema fala aqui de muitas verdades, com mais tempo quero vir aqui fazer uma quadra, agora estou à pressa,

boa noite vizinha, um beijinho

José.

Canto da Boca disse...

Querida, que beleza tudo aqui. A imagem do elegante corcel branco, às palavras que congratulam a calmaria, ou uma visão abstraída de um outro olhar, um olhar de um "louco"? O facto é que senti uma tranqüilidade aqui, o que me fez cantarolar a música do Almir Sater e Renato Teixeira, Tocando em Frente: "Ando devagar
Porque já tive pressa
Levo esse sorriso
Porque já chorei demais
Hoje me sinto mais forte,
Mais feliz, quem sabe,
Só levo a certeza
De que muito pouco sei,
Ou nada sei
Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs
É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir
Penso que cumprir a vida
Seja simplesmente
Compreender a marcha
E ir tocando em frente
Como um velho boiadeiro
Levando a boiada
Eu vou tocando os dias
Pela longa estrada, eu vou
Estrada eu sou
Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs
É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir
Todo mundo ama um dia,
Todo mundo chora
Um dia a gente chega
E no outro vai embora
Cada um de nos compõe a sua historia
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz
Conhecer as manhas
E as manhãs
O sabor das massas
E das maçãs
É preciso amor
Pra poder pulsar
É preciso paz pra poder sorrir
É preciso a chuva para florir
Ando devagar
Porque já tive pressa
Levo esse sorriso
Porque já chorei demais
Cada um de nos compõe a sua historia
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz".

Beijo grande, querida e sempre uma alegria tê-la no nosso Canto!

;)

Canto da Boca disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
mixtu disse...

palavras

de um poeta

que finje
sente
vive
respira
palavras...
sentires lineares...

poesia...

abrazo serrano

São disse...

uito, muito bonito o poema.
Ah, o cavalo também está lindo...

Até sempre, poeta.

Flor da Vida disse...

Lindo, profundo, e real o teu poema! Aplausos a ti minha linda!!! Carinhos meus a você... Bjsss

Valquiria Calado disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
C Valente disse...

Sem redeas das palavras, lindo
Saudações amigas

tulipa disse...

A todos que me visitam:
Quero comunicar que estou longe, de ferias, uma semana maravilhosa, conhecendo lugares lindos pelo mundo.
Nao coloco acentos, porque o teclado e diferente...
quando eu chegar depois conto-vos por onde tenho andado!!!
ESTOU FELIZ - sao os tais MOMENTOS PERFEITOS que vou vivendo a minha maneira.
Deus me de saude e forcas que o resto faco eu.
Ate um dia destes.

tulipa disse...

Posso dizer-te que estive em Zagreb, Rijeka, Zadar e Trogir, e neste momento estou em SPLIT - na CROACIA.
Como companheiro de mesa, as refeicoes, tenho um Professor universitario de Curitiba, com 76 anos e que conhece quase o mundo todo, estas a imaginar as nossas conversas...viagens e lugares do mundo. Tem sido muito interessante. Neste momento estamos os 2 aqui na internet do hotel...somos parceiros do mundo.
Ui...tantas coisas tem acontecido!
Beijos

Branca disse...

Versos livres, soltos, mas repletos de sentimentos...
Belo espaço o seu!

Bom domingo!

patricia disse...

sencillamente, maravilloso! todo este espacio es una belleza.
besos.

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

Secreta disse...

Verdade fingida ... ou não.

Nilson Barcelli disse...

Reli e gostei ainda mais.
Beijos, querida amiga.

Dois Rios disse...

Baby querida!

Penso que a poesia é do leitor. Ainda que o "poeta seja um fingidor" o peso ou a suavidade dos seus versos recaem sempre sobre o leitor. Ele sim é quem toma para si o que o poeta, fingindo ou não, derramou sobre os seus versos.

Beijo, minha flor!
Inês

São disse...

Mais escritos, para quando?
Um abraço.

José disse...

Olá Baby!
Este poema,è daqueles quanto mais se lê, mais se gosta de ler.

Amiga vizinha do Barlavente
embora a distancia seja comprida
palavras que escrevo no momento
"nem são uma verdade fingida"

boa noite
Beijinho,
José.

Flor da Vida disse...

Olá amiga! Passando pra te deixar um abraço e meu carinho... Bjsss

tulipa disse...

Só hoje pude voltar a fazer um post, mas tive que fazer de uma forma como "NUNCA antes tinha feito"...
isso originou que eu não posso escolher o tipo de letra, justificar o texto,
escolher a cor da letra, enfim...
um sem número de diferenças que não me agradam, de todo.

Quem sabe, não será este o ponto de partida para eu "desistir" da blogosfera...

Peço desculpa a quem me visita, se a aparência do post não for a mais aceitável, mas...muito sinceramente, não consigo fazer melhor.

Bom fim de semana.
Abraços outonais.

Dois Rios disse...

Onde anda você, linda Baby!

Saudades!

Beijo,
I.

Secreta disse...

Vim visitar-te...
Beijito.

Nilson Barcelli disse...

Vim à procura de mais...
Reli e continuei a gostar do teu excelente poema.
Um beijo, querida amiga.

mixtu disse...

as verdades fingidas...
sentidas
amadas
ser poeta...

abrazo serrano

Sél disse...

Lindo Baby!
Vamos soltar as rédeas das palavras e das emoções!^^
Lindo poema e a escolha da imagem para ilustrá-lo.
Beijos, doce amiga, e obrigado pelo carinho com meu blog.
Fique bem,bom fim de semana.

Rosas

Rosas
Especialmente para ti, amigo visitante

Arquivo do blogue