segunda-feira, julho 25, 2011

NAS CURVAS DO POEMA

Nas curvas do poema
o amor insinua-se como a luz da lua
e desliza nas palavras
até chegar ao novo verso
que por ser novo se entrega por inteiro
nas mãos do poeta controverso
que ora o enfeita com as cores da aurora
ora o faz triste como uma manhã de nevoeiro  


Nas curvas do poema 
cabem palavras como o azul do mar
e o barco verde que o navega
cabem o céu e os pássaros que lá moram
também o sol e a luz que nos aquece
o rio que lava a terra da desgraça
a noite negra que antecede o dia
o vento que sopra e nos devassa
a mulher que chora porque a vida a ludibria
e a flor que morre para que o fruto nasça.


Imagem colhida na net

31 comentários:

Canto da Boca disse...

Lembrei de uma poetisa brasileira, Helena Kolody, que diz: "na poesia e nas nuvens, tudo cabe".
Quanta beleza no seu texto!

Um beijão!

Fernando Santos (Chana) disse...

Bela poesia...Espectacular....
Cumprimentos

mixtu disse...

nas curvas do poema...
curioso que nunca vi um poema como algo com curvas...

curioso...

mas devem ter... se falam de mar...

ou se falam de amor e seus altos e baixos...

sim...

abrazo serrano

Secreta disse...

Tudo cabe nas curvas dos poemas...todas as palavras têm o seu lugar.
Beijito :)

Dois Rios disse...

Baby querida,

O poema não só tem curvas como também todos os traços que caibam nos sentimentos do poetas.

Beijo,
I.

Vanuza Pantaleão disse...

As curvas guardam poemas, mistérios e...muitos perigos. Daí, os carros terem que frear a tempo.

Obrigada pela visita, Baby!Bjsss

Maria Alice Cerqueira disse...

Boa tarde amiga!
Linda poesia!
No coração do poeta cabe o Amor!
Tenha um alindo dia!
Abraço amigo!
Maria Alice

José disse...

Olá Baby!

Nas curvas do poema
vale sempre a pena
mesmo que a alma
seja pequena

Um bom fim de semana
com uma boa praia
finalmente a água já mais quentinha
pelo menos aqui para o Sotavento,
que é sempre mais quente.

Beijinho,
José.

Sandra disse...

Ola, tudo bem..

Fiz um carinho especial para alguém que se foi a muito tempo, mas que deixou saudades para nós.
Venha dar uma olhadinha,neste cantinho
http://sandrarandrade7.blogspot.com/2011/07/um-homenagem-in-memoria.html
Carinhosamente,
Sandra

Mar Arável disse...

Curvas e arestas

A poesia serve para nos interrogarmos

Bj

Anónimo disse...

Os deuses adoram poesia e tenho certeza que adoram a sua.
Este seu poema é o mais lindo que alguma vez li
Todas temos o direito a sorrir, a sonhar.
Muito embora cheio de amargura é um poema pleno de esperança na certeza de quem já muito amou e muito espera da vida
Um coração jovem, mesmo sofrido, tem todos os direitos, mesmo no jogo do amor

"...que por ser novo se entrega por inteiro..."

!!!!Como compreendo você!!!!!!!

Também eu há muito que viajo por aí e voo nas nuvens
Que bom perceber que a sua poesia não oferece espaço para a hipocrisia,
para a falsidade,
para a traição
para a deslealdade
para o fingimento
para o ódio
para o vazio
para o nada

Muito bonitas suas estrofes
Mesmo um reencontro de memórias

"A flor morre para que o fruto nasça"

A paixão sempre renasce no coração daqueles que verdadeiramente alguma vez se apaixonaram e nos amaram bem merecemos o amor que procuramos mesmo que algumas vezes fujamos dele

Malu Farias

São disse...

Nestas curvas da sua poesia, é(-me) gostoso perder.

Boa semana

tulipa disse...

AMIGA

pegando em algumas das tuas palavras
escrevo como sinto:

Nas curvas do amor
insinua-se um descrédito
cada vez maior
e deslizo vagamente
sem esperança
de voltar a amar

foi tempo
em que me entregava
por inteiro
nas mãos do amor
nas asas do amar

Nas curvas do teu poema
cabem palavras lindas
como o azul do mar
e o barco verde que o navega
cabe o céu
e os pássaros que lá moram
também o sol e a luz
sinal de que
ainda tens Esperança
num novo dia
num novo amor.

Beijos meus

Valquíria Calado disse...

Olá Corina, como vai? linda poesia renascida nas mãos do poeta. Felicidades.

Ana disse...

Um poema onde cabe toda a tua sensibilidade, onde as palavras nascem por amor.
É bom vir até aqui e encontrar-te!

Saudades e um beijo, Baby *

Sonia Schmorantz disse...

Linda, linda curva no poema, parabéns!
beijos

Baby disse...

Obrigada, Malú, por suas palavras tão lindas e gentis.
Nunca deixe de viajar, quer seja nas nuvens ou dentro de si própria, porque tão proveitoso é fazê-lo voando nas asas do sonho, como navegando no rio das memórias.

Beijinhos.

Vanuza Pantaleão disse...

" Eu prefiro as curvas da Estrada de Santos onde eu tento esquecer..."
Música de Roberto Carlos que me passou pela cabeça agora.

Bonito de reler, gostei mais ainda...

Amiga, uma ótima semana!!!

N. Barcelli disse...

Gostei imenso das curvas do teu poema...
Achei-o muito bem trabalhado e com um belo efeito melódico.
Querida amiga, tem um bom resto de semana.
Beijo.

Secreta disse...

Passei para uma visita :)
Deixo um beijito.

Álvaro Lins disse...

Tu sabes!!!Mas é lindo:)!
Bjo

Vieira Calado disse...

E por azul e mar,

não se esqueça que dia 13, Sábado, temos a última sessão poética na figueira da Luz.

Os trabalhos produzidos e lidos no encontro, serão compilados em livro.

Não perca a oportunidade de escrever qualquer coisa, verso ou prosa, sobre o figo...
ou a figueira.
Há, para quem não se sentir em condições de ler, voluntários capazes.

Bjsss

piedadevieira disse...

Minha querida, que singeleza encontrei atrás dessas curvas!
Maravilha de poesia.
beijos

tulipa disse...

Amiga

ainda andas
com as curvas do poema?

OH tempo que cá vim

pensei que havia novidades!!!

eu sempre disse
e volto a repetir
que o objectivo principal
dos meus blogues
é a PARTILHA,
levar aos outros informações,
mostrar lugares que podem ser visitados

os meus passeios
têm sido aqui por perto
os últimos posts são sobre
CASCAIS
e
SINTRA.

Queres vir espreitar?

Beijos.

Perla disse...

Nas curvas do poema cabe tudo isso
de um mar a outro mar.

Bjos

Vieira Calado disse...

E só para lembrar que no próximo Sábado às 21, há o último Sarau...

debaixo da figueira...


Bjsss

A.J.Faria disse...

Olá, Baby!

... se o grão de trigo não morrer não poderá dar fruto.
Saibamos morrer diariamente,nas mais diversas situações com que somos confrontados, assim talvez sejamos capazes de deixar este mundo em que vivemos um pouco melhor!

Foi um gosto enorme passar por aqui e saborear a tua poesia!

Tudo de bom!

tulipa disse...

MINHA AMIGA

ainda andas nas
CURVAS DO POEMA...???

é o que faz
viver numa zona balnear
e, nos meses de Verão
querer aproveitar
todos os raios de sol...
depois
não há tempo para o blog
pois é!!!!!

tulipa disse...

Já cá estive a
31 de Julho
8 de Agosto
e HOJE
17 de Agosto...

Miguinha
ARREBITA

pois
como a minha vida é vir todos os dias trabalhar,
vou tendo tempo para fazer posts novos,
uns passeios por Sintra e não só...

Praia e piscina:
estou proibida..
vês a minha sorte?
Proibirem-me de nadar numa piscina, espero 9 meses pelos 3 meses de Verão e depois........
proibem-me!!!

Sou uma SORTUDA!!!
Não sou?

C Valente disse...

Muito belo poema
Saudações amigas

maria selma disse...

Oi amiga já enviei email para você e no enderço que você deixou volta sempre,poderias deixar novamente se puderes para enviar para você as perguntinhas qual seu livro favorito?o meu email é
selmarovaris@pop.com.br
Aguardo tá,beijos

Rosas

Rosas
Especialmente para ti, amigo visitante

Arquivo do blogue