terça-feira, outubro 25, 2011

ENXURRADA


Esta noite choveu no deserto que albergo no meu peito
e uma enxurrada varreu meus grãos de areia
pela encosta abaixo do meu corpo
abrindo sulcos obscenos, de uma beleza proibida
e as águas que por eles escorriam
em rio caudaloso se tornaram
arrastando consigo amores que o tempo já esquecera,
dores e alegrias, versos que escrevi,
palavras que guardei e que roubara nos livros que já lera
e erros, tantos erros em que teimosamente persisti,
as respostas que não dei e as perguntas que não fiz,
o choro que na tristeza não chorei,
e os risos que por falta de alegria não soltei.
De todas essas coisas me desfiz.
E nessas águas, que depois da queda se amansaram
eu me deixei afogar,
pois num deserto sem areia
o sol nunca mais volta a brilhar.

Imagem colhida na net

15 comentários:

José disse...

Olá Baby!

Essa enxurrada, levou toda a areia, mas quem sebe o sol, não volta ainda a brilhar, eu desejo que ainda brilhe.

Fique tristinha não.
beijinho,
José.

Secreta disse...

Uma "limpeza" ao mais intimo do noso ser , é por vezes inevitável e essencial...!
O Sol brilhará de novo, a seu tempo.
Beijito.

Canto da Boca disse...

Um tratado do desapego, um belo tratado, eu diria; ainda que entremeado de tristeza, não falta beleza. Mas o nunca mais é tempo demais para o sol se afastar desse deserto que também oferece um oásis.

Um beijão, Baby!

Vieira Calado disse...

Olá, como está?
Já viu o vídeo sobre uma noite de poesia num Café, em Barão de S, João?
Está no meu blog. Ao próximo tem de ir!
Foi giro!

Bjsss

Rose disse...

O sol sempre volta a brilhar depois de uma tempestade...maravilhoso seu blog, me tornei seguidora, claro! e deixo meu link para que conheças meu blog também, e se gostar me siga também, me sentirei honrada. Voltarei mais vezes por aqui. Luz em sua vida! beijo.

http://rose-sousacoracaodefera.blogspot.com/

Dois Rios disse...

Linda e doce Baby!

As vezes precisamos de uma vasta e densa enxurrada para que leve alma afora, todas as tristezas represadas.

Lindo demais, ainda que triste!

Beijo,
I.

tulipa disse...

Todos sabemos que por aqui encontraremos
INSPIRAÇÃO...

parece que a enxurrada ajudou nessa inspiração que por vezes...se ausenta!
Ou será a Baby que se ausenta de tudo e leva consigo a inspiração que sempre tem?
Vou mais na 2ª hipótese.
Obrigado pela partilha.

Este fim de semana andei muito perto da Serra d'Aire, do rio Tejo, procurando inspiração
e com vontade de aventura!

Convido a ver a
LEGIÃO ESTRANGEIRA,
sabes um dos lugares onde existem?
...
Os legionários recebem seus vencimentos quase que totalmente livres de despesas.
As refeições feitas no quartel são gratuitas de segunda a sexta-feira, e nos finais de semana pagas à parte (cerca de 4 euros).
Aos salários iniciais, em torno de mil euros para quem serve no continente e de 1,5 mil para os alojados na ilha da C-----a, juntam-se os prémios e bonificações pagos, quando os soldados partem em missões fora do território francês. Conforme o caso, os soldos podem até triplicar.
A rotina na ilha, se resume a fazer faxina, cuidar das fardas, lustrar botas, praticar exercícios físicos e estar sempre "ligado", pronto para ser chamado a qualquer hora do dia ou da noite.
Nos finais de semana, impecavelmente uniformizados, os legionários são liberados para ir à cidade, apesar de que nem tudo o que diz respeito à vida mundana é permitido.
Nada de discoteca, de baladas com mulheres ou bares mal afamados. "Somos controlados. Temos que ter um comportamento exemplar", acrescentou.

Nilson Barcelli disse...

Há enxurradas que nos levam tudo.
Mas ficamos prontos para renascer do deserto, mesmo sem areia...
Brilhante, gostei muito do teu poema.
Beijos, querida amiga.

Vanuza Pantaleão disse...

Baby, querida, como gosto de me afogar na enxurrada dos teus versos!
Obrigada pelo teu carinho, amiga!
Receba minha ternura...

Mar Arável disse...

Tudo se move

até os belos relâmpagos

Dois Rios disse...

Minha querida,

Vim em busca de novas palavras e também para agradecer a sua sempre delicada visita.

Beijos meus,
I.

Perla disse...

Por vezes somos lavados assim, de enxurradas. Mas o sol acabará por brilhar.

Bjo

Secreta disse...

Passei para visitar-te. E espero que tudo esteja bem contigo. :)
Beijito.

Manuel Luis disse...

É um rio com tempestades mas com margens verdejantes de esperanças.
Beijo

Mena disse...

Adorei o teu poema!

Bj e um feliz ano de 2012!

Rosas

Rosas
Especialmente para ti, amigo visitante

Arquivo do blogue