quinta-feira, setembro 20, 2012

PARA QUEM GOSTA DE AZUL


Dizem que o azul é uma cor fria, mas a mim inflama-me a imaginação, ao mesmo tempo que me repousa a alma...difícil de entender?

Para quem quiser tê-lo sempre à mão, partilho convosco uma receita de
NUNO JÚDICE
"In Meditação sobre ruínas, 1995"


RECEITA PARA FAZER O AZUL

Se quiseres fazer azul,
pega num pedaço de céu e mete-o numa panela grande,
que possas levar ao lume do horizonte;
depois mexe o azul com um resto de vermelho
da madrugada, até que ele se desfaça;
despeja tudo num bacio bem limpo,
para que nada reste das impurezas da tarde.
Por fim, peneira um resto de ouro da areia
do meio-dia, até que a cor pegue ao fundo do metal.
Se quiseres, para que as cores se não desprendam
com o tempo, deita no líquido um caroço de pêssego queimado.
Vê-lo-ás desfazer-se, sem deixar sinais de que alguma vez
ali o puseste; e nem o negro da cinza deixará um resto de ocre
na superfície dourada. Podes, então, levantar a cor
até à altura dos olhos, e compará-la com o azul autêntico.
Ambas as cores te parecerão semelhantes, sem que
possas distinguir entre uma e outra.
Assim o fiz__eu, Abraão bem Judá Ibn Haim,
iluminador de Loulé___e deixei a receita a quem quiser,
algum dia, imitar o céu.

16 comentários:

Vanuza Pantaleão disse...

Amiga, também tenho uma afinidade especial com o azul, embora goste muitíssimo de todas as cores do arco-íris.
São certas preferências que a razão não consegue explicar.
Obrigada pela honrosa visita e um fim de semana bem azulzinho!Bjs

Benó disse...

Azul marinho, azul noite, azul bébé,azul cobalto.
Com a receita que transcreve não sei exatamente que nome lhe daremos.
Qual a sua ideia, amiga pintora?
Bjs.

Controvento-desinventora disse...

Amo o azul, mas o meu azul desbotou, diante e meus olhos entristecidos, por alguém que não valorizou minha cor.

Ana Oliveira disse...


Gostei da receita... estamos tão habituadas a aceitar a "cor" que nos dão que esquecemos a nossa capacidade de a criar, é tão pessoal o céu...

Um beijo

José disse...

Maré Viva. Esta é uma receita, bem ao teu jeito.Eu acrescentaria um Pinto da Costa, bem depenado. Desculpa o meu acrescente, tamém é Azul

Ótimo fim de semana,
Bjs,

Manuel Luis disse...

Inimitável este azul que cobre Loulé, o infinito não se altera, distingue-se!
Gosto do azul do céu salpicado de nuvens brancas. O teu azul é o igual ao meu e acredito que olhamos ao mesmo tempo para ele ao fim da tarde.
Bj

Ana disse...

Azul é a minha cor preferida . Céu e mar, sonho de infinito.
Gostei da receita !
Saudades e um beijo *

Canto da Boca disse...

Aprecio o azul, claro que para mim ele é repousante, mas gosto muito...

E o poema do Nuno Júdice, me fez lembrar um outro poema, de um literato pernambucano que está entre os meus preferidos, Carlos Penna Filho,

Soneto do Desmantelo Azul

Soneto do Desmantelo Azul
Então, pintei de azul os meus sapatos
por não poder de azul pintar as ruas,
depois, vesti meus gestos insensatos
e colori, as minhas mãos e as tuas.

Para extinguir em nós o azul ausente
e aprisionar no azul as coisas gratas,
enfim, nós derramamos simplesmente
azul sobre os vestidos e as gravatas.

E afogados em nós, nem nos lembramos
que no excesso que havia em nosso espaço
pudesse haver de azul também cansaço.

E perdidos de azul nos contemplamos
e vimos que entre nós nascia um sul
vertiginosamente azul. Azul.

Beijos, Baby!

;)

tulipa disse...

Como gostei deste belo poema

Também eu aprecio o azul...
é um tom repousante.

Obrigado pela partilha.

Chegou a minha estação do ano preferida - belas fotos com as diferentes cores das folhas...
ADORO!

Quando te apetecer e se quiseres passa por lá...
e visita o meu blog
http://pensamentosimagens.blogspot.pt/

Em época de transição do Verão para o Outono, achei um soneto de William Shakespeare adequado e fiz o post juntamente com uma imagem de minha autoria, como já é habitual.
Partilho um pouco do soneto:

Se te comparo a um dia de verão
És por certo mais belo e mais ameno
O vento espalha as folhas pelo chão
E o tempo do verão é bem pequeno

Nos MOMENTOS PERFEITOS mostro a minha participação no Raid Fotográfico da Moita.

Cá espero por ti.
Beijos de Outono.

Secreta disse...

O Azul, como o céu e o mar , que se fundem e confundem.
Beijito.

Nilson Barcelli disse...

A receita é óptima... e de um grande poeta.
O azul, para mim é quente...
Beijo, querida amiga.

C Valente disse...

Lindo
Saudações amigas

Fa menor disse...

Gosto do azul. Um pedaço de céu.

Boa receita!

Bjins

vieira calado disse...

Olá, como tem passado?
Sabe, não reconheci o blog e, de resto, tenho andado pouco por aqui, dado que... e´(era Verão)
O poema é deveras interessante.
Beijinhos muitos!

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo Azul...Espectacular....
O azul ajuda a controlar a mente, a ter clareza de ideias e a ser criativo....
Cumprimentos

A Casa Madeira disse...

E assim me vou passeando pelas seus posts.
Muitos dizem que o gosto é algo que não se discute; mas sou adepta
sim a discutir o gosto como Montesquieu.
Concordo que o azul é algo que só inspira adoro...
Podemos fazer uma ode ao azul kkk.
Mas achei lindo demais esse post.
Bem que ele podería estar no mês de julho no ano de 2015.
Janicce.

Rosas

Rosas
Especialmente para ti, amigo visitante

Arquivo do blogue