quarta-feira, maio 12, 2010

AMARGURA


Eu não tinha este rosto de hoje,

Assim calmo, assim triste, assim magro,

Nem estes olhos tão vazios,

Nem o lábio amargo.



Eu não tinha estas mãos sem força,

Tão paradas e frias e mortas;

Eu não tinha este coração

Que nem se mostra.



Eu não dei por esta mudança,

Tão simples, tão certa, tão fácil:

- Em que espelho ficou perdida

A minha face?


Cecilia Meireles
Imagem encontrada na net

13 comentários:

Dois Rios disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Dois Rios disse...

Maravilhosa Cecília! Fez da amargura, versos de puro encantamento.
===
Hoje, quando olhamos para trás, percebemos que não tínhamos as marcas que a vida foi cravando no nosso corpo e na nossa alma. Só damos por essas mudanças, quando olhamos para trás.

Beijos, querida Baby!
Inês

Valquíria Calado disse...

Olá baby, melhor viver sem olhar pra trás. Encontramos sempre muitas pedras no caminho que nos descalçam os pés e machuca pra toda à vida; mas digo devemos passar por elas e ficarmos felizes por termos conseguido supera-las.
Desculpe, mas somos sim senciveis e quando postamos um poesia queremos mesmo dizer o que se passa no nosso intimo, eu ao menos sou assim, defato sou transparente e falando, escrevendo, seja o que faça transborda de mim meus sentimentos, como já deve ter percebido. Te desejo tudo de bom, que te faça feliz, procuro desejar sempre a todos, pois na vida tudo que se lança volta, com força e poder. beijos no coração e carinho na tua alma. fica com Deus.

Benó disse...

Astral em baixo????Está sol, as borboletas beijam-se e os amigos esperam-nos.
"Quero brilhar contra o céu
e absorver toda a luz
que o sol tiver p'ra me dar".
Uma boa semana.

Isabel-F. disse...

Não conhecia este poema.
Embora triste, gostei muito ...

bjs

ErikaH Azzevedo disse...

Esse poema aqui no Brasil é tão batido e rebatido em sala d aula, nem imaginas, tem ele , pra mim, gosto de adolescencia, por mais que fale em envelhecer.
Lindo...a Cecília é uma das minas prediletas.

Bjo flor.

Erikah

FOTOS-SUSY disse...

OLA BABY, BELISSIMO POEMA...ADORO A POESIA DE CECILIA...LINDA ESCOLHA...VOTOS DE UM FELIZ FIM DE SEMANA!!!
BEIJOS DE AMIZADE,


SUSY

VANUZA PANTALEÃO disse...

Olá, Baby!Com certeza, minha mãe virá aqui para agradecer-te. Sou novato em blog e faço o que posso. Aprecio também a grande Cecília, ela é ímpar. Obrigado! Abraço afetuoso!
Guilherme

Anónimo disse...

Olá Amiga Baby!
Gostei do poema. Está muito bem organizado. Pois faz uma análise muito profunda de um tempo presente. E deixa ficar nas entrelinhas o sentimento daquilo que foi muito belo, mas que mudou. Mas tudo é assim.Uma mudança contínua. Penso que no fundo é puro romantismo da poetisa que o compôs.

Um beijinho.

Noribal

Ana disse...

Tão triste este poema de Cecília Meireles ... e tão belo!

"Em que espelho ficou perdida a minha face?"

Um beijo para ti, amiga *

Secreta disse...

Por vezes perdemo-nos de nós mesmos!
Beijito.

mixtu disse...

perder a face...
pois, terá que encontrar o espelho que retrava a face anterior...

curioso... é pelo espelho de uma janela que oiço o meu pajaro...

jaja

abrazo serrano

Sonia Schmorantz disse...

Penso que este poema da Cecília é o retrato de todas nós, que um dia nos perguntamos em que espelho deixamos a nossa beleza, a nossa juventude...
beijos, linda semana

Rosas

Rosas
Especialmente para ti, amigo visitante

Arquivo do blogue