domingo, janeiro 30, 2011

FICA





Não partas já.Fica até onde a noite se dobra
para o lado da cama e o silêncio recorta
as margens do tempo.É aí que os livros
começam devagar e as cores nos cegam
e as mãos fazem de norte na viagem.Parte apenas
quando amanhã se ferir nos espelhos do quarto
em estilhaços de luz;e um feixe de poeiras
rasgar as janelas como uma ave desabrida.
Alguém murmurará então o teu nome,vagamente,
como a gastar os dedos na derradeira página.
E então,sim,parte,para que outra história se
invente mais tarde,quando os pássaros gritarem
à primeira lua e os gatos se deitarem sobre
o muro,de olhos acesos,fingindo que perguntam.

Maria do Rosário Pedreira
Foto da web

16 comentários:

Dina disse...

Gosto muito dos poemas de Maria do Rosário Pedreira ! Este é um dos meus preferidos !
Deixo-te um beijinho, Baby *

Secreta disse...

Fantástico!
...Fica...

José disse...

É melhor ficar, e aproveitar a noite, e quando a noite já dia, fica ainda mais um pouco.

beijinho

C Valente disse...

Muito belo
Saudações amigas

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema...Espectacular....
Cumprimentos

Dois Rios disse...

Absolutamente lindo, querida Baby!

Já li muitas poesias de MRP mas ainda não tinha batido os olhos nessa beleza que ora nos apresenta.

É impossível não associar a partida e uma nova história/uma nova chegada. São condições pertinentes para que sigamos caminhando.

Beijos,
Inês

Canto da Boca disse...

Nossa, que explosão me causou esse poema!


Um beijo, querida!

Moderno disse...

Não estou a pensar em partir

Só me sinto um pouco ausente pelas vicissitudes da vida


........|¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨…‡
........|........Fico sim .....|||"|""\____
........|__________________|||_|___|)<
........!(@)'(@)""""**!(@)(@)****!(@)

Não, não há histórias para inventar e ainda menos para reinventar

Mas gosto do poema... mais uma excelente selecção, poetisa e poema

Secreta disse...

Bom fim de semana :)

Álvaro Lins disse...

Lindo; parabéns pela escolha. Sou um admirador confesso da Maria do R. Pedreira.

tulipa disse...

Amiga
Venho agradecer as tuas visitas e as palavras que vais deixando nos meus blogues.

Pois é...
fui hoje ver e, no blog
"Deabrilemdiante" deixaste um comentário, no dia 14 de Janeiro. Por acaso, não viste ainda as últimas sugestões de cinema que lá coloquei.

É assim...
ando muito desanimada com o mundo que me rodeia; já pensei seriamente em "bloquear" os comentários nos meus 2 blogues, precisamente por coisas que as pessoas dizem sem pensar!!!
Mas...depois,
ficaria triste por não receber palavras simpáticas que algumas pessoas lá escrevem.

O problema principal da vida do ser humano é a falta de saúde!
É por isso que vou aproveitando, enquanto a saúde me permite, fazer o que mais gosto, pode ser ir ao cinema ou viajar.
Acredita que "viajo" todos os dias, mesmo sentada no autocarro, de olhos fechados, passam na minha retina momentos maravilhosos que já passei nas minhas viagens.
Acredito que é isso que me vai mantendo "Viva"!
Tempo felizmente não me falta, faço a gestão do tempo de forma a ter algum para mim.

Beijos.
Bom fim de semana.

Nilson Barcelli disse...

Gosto da poesia da Maria do Rosãrio Pedreira.
O poema que escolheste é soberbo.
Querida amiga, boa semana.
Beijos.

phausca disse...

oh, qué belleza!

me encanta visitarte, amiga querida!

un abrazo fuerte.

Valquiria Calado disse...

Com um pedido deste, impossível não aceitar, esses olhos de gato(a) seduzem.

Obrigada sabes pelo k, e tenha um fim de semana de solito com prazer de deixar a janela aberta pra brisa acaricia a noite. bjinho.

Ana disse...

A poesia de Maria do Rosário Pedreira é magnífica ! Obrigada por partilhares aqui um dos poemas mais belos !
Beijo *

Manuel Luis disse...

Relembro agora daqueles muros onde nos sentávamos a contar historias de encantar e olhar a electricidade estática a elevar-se no Céu escurecido pela noite.
Quando precisar de alguma foto, não existe que eu envio por email.
Bj

Rosas

Rosas
Especialmente para ti, amigo visitante

Arquivo do blogue